16 de março de 2011

Para mudar a história

Grande temporada de estreia de Chicharito mostra que ele pode ser o primeiro mexicano a finalmente brilhar em campos ingleses

Já virou rotina. O Manchester United não convence, parece ser dominado por sua excessiva cautela em certos momentos, mas, quando não é traído pela sua própria postura – como aconteceu na edição passada da Champions League, contra o Bayern de Munique, sempre consegue resultados positivos devido à sua impressionante eficácia. Na classificação contra o Olympique de Marseille, ontem, pela competição europeia, a situação se repetiu.

Na vitória de 2 a 1 sobre os franceses, Javier Hernandez foi o herói dos Red Devils, ao marcar dos dois gols da equipe inglesa. Chicharito, aliás, vai coroando cada vez mais sua excelente temporada de estreia. Com 16 gols em toda a temporada, o jovem atacante já é o vice-artilheiro dos mancunianos e conquistou a torcida e o técnico Sir Alex Ferguson. A confiança é tanta que o mexicano foi o responsável por barrar Berbatov quando o búlgaro fazia, disparadamente, a sua melhor campanha pelo clube.

Primeiro mexicano a jogar na Premier League, Jared Borgetti não conseguiu se aproveitar de seus ótimos cabeceios para se firmar no Bolton de Sam Allardyce

Com o seu brilho precoce pelo Manchester United e um excelente futuro pela frente, Hernandez caminha para mudar o sucesso dos mexicanos nos campos ingleses e se tornar o primeiro deles a brilhar por lá, depois de algumas histórias de fracasso. Seus conterrâneos começaram a desbravar a Terra da Rainha desde que Jared Borgetti assinou com o Bolton na temporada 2005-06. Porém, o atacante nunca conseguiu se firmar pelos Wanderers, e deixou o clube logo na temporada seguinte, após marcar apenas dois gols na Premier League e outros cinco em outras competições. Nery Castillo, atacante de sucesso no Olympiacos, teve uma passagem infrutífera pelo Manchester City na temporada 2007-08.

Nem mesmo jogadores da excelente geração que conquistou o Mundial Sub-17 em 2005 conseguiram brilhar. Na verdade, pelo futuro que pareciam ter, foram, inclusive, os que mais decepcionaram. Giovanni dos Santos teve um desempenho apagadíssimo pelo Tottenham e logo perdeu espaço diante de tantas boas opções ofensivas. Já Carlos Vela nunca convenceu no Arsenal, sempre se destacando mais pelas inúmeras chances de gols perdidas, e só começou a ter certo sucesso agora, emprestado ao West Bromwich.

Há ainda dois jogadores que estrearam na atual temporada junto com Chicharito: o winger Pablo Barrera, pelo West Ham, e o lateral Carlos Salcido, pelo Fulham. Os dois, porém, estão longe de ter o status do atacante do Manchester United: Barrera se tornou apenas mais uma das opções ofensivas nada confiáveis dos Hammers, enquanto Salcido, após bons tempos no PSV, é um jogador de altos e baixos pelos Cottagers. Por hora, fica somente a Hernandez, portanto, o fardo de manter a honra dos mexicanos na Inglaterra.

Imagem: BBC

2 comentários:

Blog Esportivo Golaço disse...

Belo post. A fase do Chicharito realmente é muito boa. O que mais me chama a atenção no garoto, além da técnica e da velocidade, é o seu senso de posicionamento: sempre no lugar certo, na hora certa. Lembra o Romário, guardadas as devidas proporções.

http://diarioesportivogolaco.blogspot.com

Abração

Leandrus disse...

As vezes, eu acho que Chicharito até tem um quê de atabalhoado, como mostrou ao estragar diversas oportunidades de gol na partida contra o Arsenal pela FA Cup. Porém, o seu posicionamento é realmente o seu trunfo, assim como o estilo brigador. É por sempre estar atento aos lances que está no lugar certo na hora certa, como você mesmo disse.

Ateh!