24 de agosto de 2011

Como escalar o Manchester City, Mancini?

Depois de ter anunciado a contratação de Kun Agüero e Samir Nasri, novas alternativas apareceram para Roberto Mancini, que não terá um trabalho fácil para deixar Yaya Touré, Samir Nasri, David Silva, Kun Agüero, Carlitos Tévez e Edin Dzeko satisfeitos, ou ao menos jogando constantemente. E vendo isso, nós do Ortodoxo e Moderno decidimos fazer um post sobre como o Manchester City poderá jogar no resto da temporada, lembrando que os Citizens disputam a Champions League, Premier League, FA Cup e Carling Cup. Contamos com a opinião dos nossos amigos Daniel Leite, Rafael Oliveira e Luccas Oliveira, a fim de chegarmos num "time ideal". Apresentaremos esquemas diferentes, com diferentes nomes, tendo em conta o ótimo elenco do City, confira:

4-4-2

Clique na imagem para ampliá-la (Ilustração: TacticalPad)

Esse é o esquema que melhor "encaixaria" os jogadores, é claro, alguns nomes fortes teriam de ficar no banco. Conta com o habitual apoio dos laterais, principalmente do esquerdo (Clichy ou Kolarov); no meio, Barry ficaria mais preso, e Yaya Touré teria mais liberdade para chegar a frente, mas com obrigações defensivas (como um autêntico box-to-box); os wingers seriam Nasri (direita) e David Silva (esquerda), mas contando com as trocas e confundindo a marcação, Milner e Adam Johnson são boas opções no banco; no ataque, optamos pela dupla argentina, Agüero e Tévez, uma dupla que bem entrosada e "afim" de jogar, seria bastante "infernal" para os adversários, é claro, não podemos esquecer de Dzeko, que dá outra qualidade ao time, já que um homem mais de área.

4-2-3-1

Clique na imagem para ampliá-la (Ilustração: TacticalPad)

Esse parece ser o esquema "favorito" de Mancini, porém o mais complicado para encaixar os jogadores. Como no 4-4-2, conta com o apoio dos laterais; na volância, algo mais cauteloso, com De Jong e Barry fazendo a proteção, mas Yaya Touré poderia ocupar a vaga de um dos dois; no trio de meias, Nasri (direita), Touré (centro) e David Silva (esquerda) seriam as opções (primárias), mas poderia haver a entrada de Tévez ou Agüero no lugar de Touré, o que daria mais força ofensiva ao time, na direita Adam Johnson e Milner seriam a "sombra" de Nasri, o mesmo na esquerda com David Silva, porém Balotelli seria outra "sombra"; no ataque, primeiramente Agüero, mas pode haver a entrada de Tévez ou Dzeko.

4-3-3

Clique na imagem para ampliá-la (Ilustração: TacticalPad)

E por último, o esquema que aos olhos parece ser o "mais ofensivo". Como nos outros esquemas, contando sempre com o apoio dos laterais; teria apenas um homem na proteção da zaga, De Jong seria o mais provável para essa função, mas Barry ou Touré podem muito bem ocuparem esse lugar; o time nesse esquema já teria dois meias-centrais, um com a função de box-to-box (Yaya Touré, e Milner como reserva) e outro com mais liberdade (Nasri); no ataque, um trio de muita movimentação, Agüero (direita, com Milner e Adam Johnson podendo ocupar o lugar), Dzeko (centro, que teria a concorrência de Tévez) e David Silva (esquerda, com Adam Johnson e Balotelli como reservas).

Por Arthur Barcelos (@arthurbarcelos_)

E você, concorda com alguma das três opções apresentadas? Usaria outra formação? Deixe sua opinião na caixinha de comentários.

Um comentário:

Thiago Fernandes disse...

para "encaixar" o que melhor cabe é o 4-2-3-1 - embora o 4-3-3 me encha mais os olhos!-

mas aí, quem monta o time é jogador no treino!